Oficinas


Blog: "Olhar Verde" APRESENTA:


1 - Oficina de reciclagem de papel:




No século da sustentabilidade, onde tratar bem e preservar os recursos naturais do planeta são pautas primordiais não só nas mídias, mas também nas instituições, pode-se declarar que a reciclagem é o pontapé inicial para estar dentro desse perfil. A reciclagem de papel, por exemplo, é um tema que traz à sociedade uma série de vantagens, pois além de criar o aproveitamento do material, diminui o índice de desmatamento.













No Ponto de Cultura “Olhar Verde”, em sua oficina de reciclagem de papel, foram muitas as vantagens adquiridas não só para o para o próprio meio ambiente, mas também para os alunos e os profissionais envolvidos, no intuito de abordar temas como: a formação de cidadãos mais conscientizados, a aprendizagem através da economia criativa, a possibilidade da ingressão no mercado de trabalho, dentre outras.



QUEM ESTÁ NA FOTO?


2 - Oficina de Fotografia:



A fotografia não tem um único inventor, ela é uma síntese de várias observações de estudiosos em diferentes momentos históricos. A própria origem da palavra “Fotografar” vem de dois termos gregos, "photos" e "grafo", que significam "luz" e "escrever": portanto, fotografar que dizer escrever com luz. Mas na linguagem popular, significa apenas, registrar momentos especiais.


 
  

Graças á uma série de pensadores, como Aristótoles e Leonardo Davince, por exemplo, a história da fotografia foi se consolidando ao longo dos séculos. Desde as tardes para reunir a família, em que fotografar era “um evento”, passando palas máquinas analógicas, até a chegada da era digital, que pode abrir muitos horizontes para aqueles que se interessam pelo assunto.






O Ponto de Cultura Olhar Verde, promoveu um mini-curso e três intervenções fotográficas no bairro de Tribobó, com o objetivo de aguçar a curiosidade pela profissão e registrar o desenvolvimento do bairro, a história e a memória das pessoas e sua passagem no tempo.







3 – Oficina de mídia Alternativa
 

A mídia alternativa no Brasil teve seu auge atuação no período que circunda entre 1964 a 1985, (Período da Ditadura Militar). Sendo grande parte dos informativos em oposição ao regime.
Segundo a estudiosa Virgínea Lencastre, em seu blog, “Mídia Alternativa”, as publicações dessa época, ficaram conhecidas com este nome, por se desviarem do caminho seguido pelas mídias tradicionais, pela crítica ao modelo governamental e por exigirem mudanças sociais. E tais publicações eram noticiadas em sua maioria, pelos jornais. Principal meio de comunicação da época.

















E mesmo nos dias atuais, as mídias alternativas não perderam sua característica de noticiar o que a grande mídia não cobre. Com essa qualidade aliado ao avanço da tecnologia, tais mídias tiveram sua abrangência, não só em periódicos, mas também na internet, com blogs e redes sociais.







 O Ponto de Cultura “Olhar Verde” Realizou um mini-curso com o objetivo de aproximar o jovem do formato de comunicação do século XXI, promovendo interação, conhecimentos necessários à uma comunicação mais abrangente e com responsabilidade social.

















4 - Roda de leitura


O Ponto de Cultura “Olhar Verde”, realizou durante essa jornada, inúmeras rodas de leitura, que tiveram como principal objetivo, promover o incentivo à leitura e formando jovens leitores.  Para isso, trabalhou com diversas atividades educacionais voltadas para esse fim. 









Um grande exemplo é a Roda de Leitura, uma atividade ministrada pela educadora, Luana Castro, que teve objetivo de aguçar a curiosidade das crianças através da leitura dramatizada, contação de história, desenho e  teatro de bonecos.














Um grande exemplo é a Roda de Leitura, uma atividade ministrada pela educadora, Luana Castro, que teve objetivo de aguçar a curiosidade das crianças através da leitura dramatizada, contação de história, desenho e  teatro de bonecos.







5 - Oficina de Contação de História


As atividades estão voltadas para oficinas pontuais ou sequenciais. Com preocupações com a construção da Literatura local utilizando a história e a memória do indivíduo como pano de fundo. Nesse contexto, por um lado as atividades buscam  trabalhar a arte e a construção de histórias na Contação de História. Por outro lado, as atividades de construção de histórias envolvendo o sujeito como personagem auxiliam na formação de novos contadores. Tornando o projeto incentivador daqueles que tenham interesse na literatura e na arte de contar história. 













Dessa forma existe uma capacitação não só dos alunos, mas também dos monitores do projeto que se qualificam qualificando ao longo do processo de formação. Daí nessa troca internalizamos o conhecimento em novas comarca de saberes afim de cativar novos estudos e novos monitores do saber. As atividades desenvolvidas como foco de exercícios abordam a Expressão Corporal e a Apresentação Pessoal, Ritmo, Percepção, Construção Textual e Externalização da fala.












Objetivos alcançados!




Clique aqui e assista o resultado de uma dessas oficinas: Escola Estadual Vital Brasil no bairro de Tribobó

video






Visitantes On Line